Transformers: o Lado bom da franquia

No dia 21 de Junho estreou nos Estados Unidos o mais novo longa dos robôs cybertronianos, e assim como seus predecessores, o filme recebeu inúmeras críticas negativas, críticas essas que não foram nem um pouco surpreendentes. Entretanto as críticas negativas parecem não influenciar os caminhos criativos da franquia, já que outros filmes que se passarão no mesmo universo criado por Michael Bay já foram confirmados, dentre eles um filme solo do Bumblebee.

Assim como qualquer outra indústria, a do entretenimento também visa o lucro, e se tem uma franquia que sabe lucrar, é Transformers. Até agora os filmes de Optimus Prime e companhia já arrecadaram mais de US$5 bilhões, e já que o lucros ditam as regras, os filmes desse universo continuaram independente das críticas. Por outro lado nós cri cri adoraríamos ver uma franquia que fizesse jus aos robôs do planeta Cybertron, afinal, Transformers com certeza fez parte da infância de muitas pessoas e merece qualidade em suas adaptações. Quem nunca teve um robô que se transformava em um carro? Ou quem não acompanhava vidrado as animações onde aprendemos a desprezar os  malditos Decepticons?

Como já percebemos, provavelmente não veremos tão cedo um adaptação cinematográfica que irá fazer justiça com nossos tão amados Autobots. Mas, de que adianta ficar olhando o copo meio vazio?  Tentando enxergar o lado bom da franquia, nós do Crítica Criativa preparamos uma lista para deixar todos os amantes de Transformers com um copo transbordando. Vamos lá?

 

1 – Transformers: War for Cybertron

Lançado em 2010, esse game leva a guerra entre Autobots e Decepticons para outro nível. Em War for Cybertron encarnamos uma série de personagens, de ambos os lados, travando batalhas em várias frentes da guerra cybertroniana.

Se tem um fator que acredito que deve ser bastante levado em consideração para afirmar se um game é bom ou não, esse fator é a diversão durante o gameplay e nesse aspecto podemos dizer sem sombra de dúvida que War for Cybertron é muito divertido. Controlar e pilotar um combatente de Cybertron enquanto uma guerra gigante (literalmente), está acontecendo é fantástico!

 

2 – Transformers: Fall of Cybertron

Sequencia direta do game de 2010, Fall of Cybertron foi lançado em 2012 com uma responsabilidade muito grande, ser tão bom quanto seu predecessor.

O game segue a formula já estabelecida por War for Cybertron. Jogabilidade, sistema de armas e energon utilizado como medkit, tudo isso está de volta, porém nenhuma sequência se sustenta por ser uma cópia do primeiro game.

Entre as novidades inseridas em Fall of Cybertron podemos destacar os capítulos em que jogamos com Bruticus, um Combiner Decepticon, outro fator que deixou todo fã maluco foi a introdução dos Dinobots, quando controlamos Grimlock é simplesmente demais. Sem falar no capítulo final extremamente cinematográfico.

 

3 – Transformers: O Filme

Transformers já teve um filme antes dos dirigidos por Michael Bay? A resposta é sim!

Lançado em 1986, esse longa animado foi responsável pelas primeiras grandes mudanças na franquia Transformers, mudanças essas como (olha o spoiler), a morte de Optimus Prime e a transformação de Megatron em Galvatron. Sem contar que o filme tem nomes gigantescos em seu elenco, pois além de Peter Cullen (Optimus Prime) e Frank Welker (Megatron), atores como Eric Idle, Robert Stack, Leonard Nimoy e Orson Welles fizeram parte da produção.

 

4 – A última batalha dos Wreckers

Essa minissérie é a prova que o universo Transformers também pode ser abordado de maneira densa e séria sem perder a identidade.

Publicada pela IDW, essa HQ apresenta o grupo tático de missões especiais dos Autobots (os Wreckers), que são designados para uma missão que consiste em ir até Garrus-9, prisão cybertroniana que a muito tempo não mantinha contato tanto com Autobots quanto Decepticons, mas o que torna essa missão ainda mais perigosa é que agora Overlord, General desertor do exército Decepticon e era considerado a “solução final de Megatron”, teria tomado controle da prisão de alguma forma e cabe aos Wreckers essa missão suicida.

 

5 – Transformers G1

É claro que não poderia faltar a animação clássica!!!

Sim, ela é datada, tem um ritmo bem diferente das animações atuais e as vezes pode não fazer sentido nenhum. Mas não tem problema, a nostalgia supera tudo isso. Essa animação foi responsável pela introdução de muitos nerds ao universo Transformers, então era mais que óbvio que estaria nessa lista.

Mas vale a pena assistir de novo?

A resposta é simples: tem o Bumblebee fusquinha…

 

E aí, mesmo com as críticas negativas você ainda está ansioso pra assistir Transformers: o ultimo cavaleiro? Faltou alguma outra coisa de Transformers na nossa lista? Curta o Crítica Criativa e acompanhe todas as novidades de transformers!

Jemerson Vieira

Jemerson Vieira

Um publicitário que adora tudo sobre séries, inovação e empreendedorismo. Fundou o Cri-Cri para quebrar padrões em críticas e estar sempre atualizado nas coisas que ama!