Crítica: The Walking Dead | S08 EP06 | The King, the Widow, and Rick

A crítica deste episódio demorou, mas saiu, e sério, por favor não se desesperem. Temos muito o que falar e não somente do episódio, mas de como a série tá caminhando nesta temporada. Então vamos à crítica do sexto episódio de The Walking Dead.

O Rei, A Viúva, e Rick, é o nome do sexto episódio da oitava temporada de The Walking Dead, assim como a forma de Negan chamar os líderes da aliança formada entre o Reino, Hilltop e Alexandria, e é bem explicativo e diz do que se tratará o capítulo.

Em vez de dar muitas voltas e detalhar todo o episódio, irei direto ao ponto. Sinceramente, não sei você, mas eu fiquei com raiva de assistir esse episódio de The Walking Dead. É aquele famoso “se não assistiu, não perdeu nada”, apenas para preencher a grade de número de episódios para a temporada. Antes, as pessoas reclamavam de ter muitos episódios focados em só um personagem e dando muita volta para não levar a lugar algum. Muitos queriam que variasse e tivesse mais tramas acontecendo ao mesmo tempo em um único capítulo. Agora, nesta oitava temporada temos isso e chega até perder o sentido as vezes pela forma como estão fazendo, enfim, não quero parecer àquele fã que nunca está satisfeito. Eu não queria um episódio girando somente em um personagem, mas também não queria dessa maneira tão largada.

The Walking Dead - Walkers

Vamos começar pelo pessoal do Reino que passaram por maus bocados, na verdade nem tem muito o que dizer. Carol recebeu as cartas vindas de Hilltop e de Rick, e, diga-se de passagem, que sistema bom esse que criaram de correio, muito melhor do que o do Brasil. Ela vê as notícias e tenta convencer o Rei a tomar providências para seguirem com plano e derrotarem o Santuário, mas nada consegue do Rei Depre. Como Carol é um mulherão da porra, ela decidiu ir sozinha, mas acaba tendo que parar e voltar para salvar um menino do Reino, nesta cena temos um momento interessante deles juntos, e isso só acontece porque Carol já tem um background bem construído e você consegue se conectar quando ela conta a história de sua filha para o garoto, diferente de quando Shiva morre se sacrificando pelo seu Rei Ezekiel, é triste, mas diferente da HQ, não foi desenvolvido uma história maior que criasse uma conexão com o público da TV. Pode ser uma impressão minha, mas a depressão do Rei nem chega a ser comovente.

The Walking Dead - Ezekiel

Em Hilltop as coisas estão bem movimentadas, Aaron chega tristonho após a morte do namorado, e trouxe com ele uma carta do Rick e uma bebê no colo, mas que na primeira chance já larga para a Viúva Maggie cuidar. Ele ainda decide ir embora e Enid acaba indo junto, ambos com expectativas de serem fundamentais para a vitória. Enquanto isso, Jesus deve ter transformado água em vinho e enchido a cara, ficou maluco de levar um monte de salvadores para lá e diz para Maggie que não devem matá-los e nem pode os libertar. Gregory, que mal voltou, já tem uma opinião diferente e tenta a convencer de o contrário, ele fala para construir uma forca (talvez uma referência à HQ) e matar todos, assim resolverá o problema e ainda economizaria munição. Esse conflito se segue durante todo o episódio do que farão com os Salvadores. Maggie decide construir algo, mas é um cercadinho em vez de uma forca, e ainda colocou Gregory junto, o que foi bom de se ver, ela vem se tornando uma grande líder e não deixou se levar pela influência de ambos, não descartando nenhuma opção. Nesse momento fiquei na dúvida se foi algo combinado o Gregory ser enjaulado, ou se ela simplesmente decidiu prender esse safado de vez. Vamos ver o que acontecerá.

The Walking Dead - Aaron

Agora vamos ao nosso personagem principal, Rick. Já começo me perguntando como ele pôde ser tão idiota de ir até o Lixão sem suporte algum e querer se aliar a eles novamente? Sério?! Nem a Jadis se conforma. Mesmo que tenha algo tramado por trás disso, ele é um dos líderes, não faz sentido, eles podiam ter o matado, ou pior, o usarem como refém agora que o aprisionaram e estragarem todo o plano contra o Santuário. Onde foi parar o líder com todos aqueles discursos motivacionais e papo de como eles têm que destruir o Santuário e todos envolvidos que vão contra seus ideais, desde o primeiro episódio ele tá falando isso, e acaba se tornando uma atitude contraditória e burra. “Fala demais”, assim como a Jadis disse.

The Walking Dead - Rick

O episódio não foi só isso, podiam ter trabalhado em algo diferente, mas decidiram formar mais duplas sem sentido além de Aaron e Enid, como Daryl e Tara que se unem para matarem o Dwight. Michonne e Rosita que estavam machucadas e haviam sido deixadas de lado desde o retorno da temporada, saem para ver a situação do Santuário e acabam encontrando dois Salvadores, onde um deles é morto de uma forma pouco exagerada por Rosita, e a outra tenta fugir de carro, mas é milagrosamente interceptada e morta por Daryl e Tara que estavam passando por aquele mesmo local e ainda num caminhão, e então os quatro acabam formando um novo grupo. E depois temos Carl no meio na mata se encontrando com Siddiq, e ainda dando uma desculpa de que estava o procurando, mas pouco antes Michonne tinha dito que passou-se apenas um dia e meio desde que aconteceu tudo, enfim, com erros temporais ou não, nenhum desses laços são muito desenvolvidos, para mim são apenas cenas para preencher o tempo do episódio e isso é meio que triste, pois acredito que por mais que muitas pessoas não queiram um episódio focado em só um personagem, queremos pelo menos nos conectar de alguma maneira para dar mais valor ao que vemos.

The Walking Dead - Grupinho

A minha crítica geral sobre a temporada até então é que eles decidiram colocar muita ação ocorrendo nesses primeiros episódios, talvez esperassem que assim prendessem a atenção de todos, mas novamente, pelo menos para mim, isso foi bom apenas no primeiro episódio de retorno da série, pois se pegarmos na sequência da sétima temporada faz sentido, mas não repitam durante 5 episódios a mesma coisa, discursos motivacionais e luta, foi só o que tivemos até então. Cenas como a briga de Rick e Daryl, Negan se confessando para o Padre Gabriel, Shiva e Ezekiel, Siddiq sendo inserido de outra maneira, poderiam ter sido mais trabalhadas valorizando mais cada personagem e cena também. Eu não sei até quando isso irá durar, mas precisam desenvolver melhor os personagens e cenas para que o telespectador se conecte novamente e a série volte a ser o fenômeno que era, pois se continuar nesse caminho a audiência irá cair cada vez mais.

Nós do Crítica Criativa continuaremos a trazer as notícias dessa série que já marcou uma época e geração de zumbimaníacos por todo o mundo. Nos siga em nossas redes sociais, FacebookInstagramTwitter, curta, compartilhe, e também agora, você pode se inscrever em nosso canal no YouTube e lembre de ativar o sino para receber notificações de quando sair vídeos novos.

Renan Rodrigues

Renan Rodrigues

Um redator, que tem mais games do que consegue jogar, viciado em seriados e que gosta de cozinhar. Fã de Dragon Ball, o melhor anime de todos.