Por que a Trilha Sonora é Importante?

Sabe aquelas categorias que tem no Oscar que só aquele seu amigo chato gosta de reparar nos filmes? “Cara, olha essa fotografia”, “Olha essa maquiagem”, “Que montagem bem feita”, …enfim, mas nenhuma delas é tão importante quanto a Trilha Sonora.

Ai você vai me perguntar: Mas porque? Bom, acredito que a maioria das pessoas desse mundo gostam de música, se pegarmos dados do um dos maiores streamings de música da Atualidade(Spotify), em um ano os usuários consumem em média 200 milhões de horas ouvindo músicas na plataforma, o que da 12 Bilhões de minutos se definirmos uma média de 2m30s por música teremos então 80 milhões de músicas. É muito som não é?

Podemos concluir com base nisso que somos basicamente movidos a música, onde quer que estejamos, isso por si só ja reforça o ponto, mas além disso quero que vocês deem uma olhada em filmes que provavelmente vocês gostam, e tem uma regra básica para isso … Uma boa música para dar a pitada de sal em qualquer momento do filme, se isso for acompanhado de músicas que são gostosas de ouvir ou que já conhecemos, a experiência se torna ainda mais especial.

Que tal começarmos com Guardiões da Galáxia?

Podemos dizer que o décimo filme do MCU(Universo Cinematográfico Marvel) foi um marco, principalmente para os filmes Blockbusters dos grandes estúdios, muito por conta de sua envolvente trilha sonora recheada de clássicos dos anos 70 e 80, nos trouxe uma das maiores surpresas da Marvel nos últimos anos. Isso deu com certeza um empurrão para o sucesso que arrecadou só no seu primeiro filme cerca de US$700 milhões de dólares.

Peter Quill é certamente um dos mais queridos personagens entre os heróis, não só por conta de suas piadinhas ou o carisma, mas porque ele assim como nós sempre leva sua músicas no bolso para acompanha-lo em suas aventuras, esse papel de trazer o telespectador para dentro do filme encaixa perfeitamente nas mão de Chris Pratt, que trás sempre músicas estrategicamente encaixadas no filme, parecendo até um filme sobre um álbum de coletâneas do passado. Por exemplo, o momento de “aproximação” entre Gamora e Quill é acompanhado do envolvente “Fooled Around and Fell In Love” de Elvin Bishop, exatamente no momento em que temos “Eu brinquei e acabei me apaixonando” ou como quando no segundo filme, Ego explica para Quill a relação dele com a mãe de Quill em paralelo a de Quill com Gamora, ele literalmente explica verso a verso, parece que a música foi feita para o filme … Genial, não é? Mas se ainda dúvida que a trilha te fez gostar mais do filme, eu te desafio a ouvir o Soundtrack oficial do filme apenas uma única vez, Valendo!


Para exemplificar de outra forma o que estou querendo dizer, vamos pegar os trailers mais recentes do momento … Já estamos ficando cansados do efeito da música encaixar durante as cenas dos trailers, não é ? Mas ainda sim funciona, sabe porque? Porque temos uma queda por músicas, ainda mais de clássicos, ou vai dizer que não se empolgou com Esquadrão Suicida? Olha só que trailer maravilhoso:

Podemos dizer oficialmente que tudo fica melhor com Queen, pena que o final nós ja sabemos(Lamentações).

Ou também podemos falar so trailer de “Em Ritmo de Fuga” que nos brinda com outra lindeza de trailer:

Esse sim merece todos os méritos, se o trailer é bom … o filme é melhor ainda <3


Saindo um pouco da questão de músicas que nos gera empatia por conhecermos ou por serem gostosas de se ouvir, temos que evidenciar também aquelas músicas que potencializam cenas que se tornam épicas ou afloram emoções. Animes são mais do que craques em fazer isso, podemos pegar cenas emocionantes de animes, que suas trilhas ao fundo, fazem correr lágrimas em qualquer pessoa.

Se você ver o vídeo sem áudio, apesar da cena ser autoexplicativa, o apelo não se torna o mesmo. Animes usam o áudio atrelado sempre a bons discursos para buscar a emoção do espectador que está assistindo, como o desenho dificilmente nos trás a realidade de expressões, a música entra como principal aliado nesse momento.

Claro que para falarmos de trilhas e o quanto elas potencializam emoções, não poderíamos deixar de fora alguns títulos de fimes, ou cenas perfeitas que você com certeza conhece, ou reconhece só de ouvir um trecho da trilha.

Vamos começar falando de Senhor dos Anéis, A Batalha de Pelennor é sem dúvida umas das mais épicas cenas de guerra que temos no cinema, antes de assistir o vídeo, gostaria que reparasse em como a melodia da o tom de toda a tenção da guerra, após isso ela nos trás o momento de coragem que transborda nos personagens, e mais uma vez estamos dentro da batalha, torcendo e acreditando nos nossos heróis, da uma olhada:

Segundo ponto que temos que falar aqui é sobre Jurassic Park, temos muitos filmes que nos brindam com músicas temas, alguns se tornam ícones, outras nem tanto, fato é que poucas são tão bem aplicadas quanto a música tema de Jurassic Park na cena conhecida como “Bem Vindos”, ela é tão bem encaixada que é a primeira vez que vemos um dinossauro real e a trilha nos trás todo o nosso momento de “UUUUUAAAAALLLL” é um Funking dinossauro, confere:

Não menos importante, temos o emblemático e maravilhoso “Light of the seven” no ultimo episódio da(Melhor) sexta temporada de Game of Thrones, eu gostaria de explicar essa cena para vocês, mas acho melhor vocês darem uma olhada primeiro:

Essa cena talvez transpareça para você tudo o que eu quero dizer ao longo do post, são quase 10 minutos de uma música sem parar, encaixado perfeitamente com diálogos simples e os efeitos práticos, até o seu ápice BUUUUM “Burn Them All”. Perfeito, mais do que isso! Maravilhoso!


Gostaria de falar de um dos caras mais importantes de todo esse contexto de trilhas sonoras que estamos falando. Achou que eu não ia falar do Hans Zimmer? Achou errado Grilinho!

Como não falar dele que sem dúvida nenhuma é um dos maiores nomes do cinema quando falamos em trilha sonora, ele que é dono de apenas 1 Oscar com “O Rei Leão”, mas que coleciona mais de 10 indicações, ele conta também com 12 indicações e 2 vezes premiado no Globo de Ouro com “Gladiador” e “O Rei Leão” novamente.

São tantas trilhas fantásticas como Ennio Morricone em Três Homens em Conflito (The Good, the Bad and the Ugly), que mesmo sendo um filme antigo é muito provável que já tenha escutado. Temos também Bill Conti em Rocky, James Horner no filme Coração Valente (Braveheart), Avatar ou em Titanic, Vangelis em 1492 – A Conquista do Paraíso ou Blade Runner, e mais uma vez é claro, John Williams como citamos acima com Jurassic Park, mas que é responsável por tantas outras trilhas marcantes como em Tubarão, Harry Potter e a fantástica trilha de Star Wars.

Bom, espero que eu tenha conseguido mostrar um pouco da importância de uma boa trilha sonora, existem muitas outras e tão boas quanto as que mencionei, mas ficaria um post gigante se fossemos mencionar todas. Agora me diz você, que trilha sonora foi marcante e que fez a diferença no que você via ou jogava? Ou que trilha sonora você gostaria que tocassem no seu dia-a-dia?

Curta nossa página no Facebook e deixe seu comentário. Nos siga também no Instagram e Twitter, e se inscreva em nosso canal no YouTube.

Rodrigo Mota

Rodrigo Mota

Um cinéfilo que cursa Publicidade e Propaganda e é extremamente viciado em Pop! Funkos.