Mr Robot é uma série injustiçada?

A terceira temporada de Mr Robot traz um novo momento para a série, retoma a qualidade em elementos que tanto foram elogiadas na primeira temporada, porém continua sendo um fenômeno do boca-a-boca, sem grande visibilidade ou destaque nos veículos considerados mainstream. A partir deste pensamento resolvemos levantar um tópico: Mr Robot é uma série injustiçada? 

Linha do tempo:

2015: Surge uma nova série que corre por fora das principais listas de lançamentos do ano, com um roteiro milimetricamente pensado, colocando o dedo na ferida de veículos de comunicação, redes sociais, grandes empresas ou até mesmo políticos de nível global, que rapidamente se torna um grande sucesso de crítica nos sites especializados.

2016: Hype, Hype, Hype! Contagem regressiva para a continuação da série, Rami Malek premiado com Emmy de melhor ator, “hello friend” é destaque em manchetes de grandes veículos, sites prometem uma análise a cada episódio… E morreu. Uma temporada arrastada, morna e modesta que decepciona boa parte do público e não gera reais expectativas para o que virá no ano seguinte.

2017: A série não aparece mais em listas das mais aguardadas do ano, e apesar de retomar tudo aquilo que foi elogiado em seu nascimento, os veículos pouco falam sobre o tema, as pessoas aparentemente esqueceram.

Tá, eu sei que isso soa um pouco dramático, mas não deixa de ser verdade. Um bom exemplo de seu esquecimento é que: após a primeira semana de término da terceira temporada nenhum dos grandes canais de vídeo brasileiro haviam feito uma análise da temporada. Para saber um pouco mais sobre o assunto, eu tive que recorrer aos podcasts ou canais de outros países. (white people problem)

Mas calma, ainda há um ponto positivo nisso tudo: assim como true detective, Mr robot se tornou uma coisa fora do mainstream, ou seja, existe um grande universo de fãs em torno do tema, mas ele não está circulando diariamente nas rodas de sites, canais ou programas sobre cultura pop. Se quisermos olhar este copo pelo lado “meio cheio”, isso pode ser algo positivo e poderá transformar essa série em um dos grandes “ícones” da cultura pop nos próximos anos, calma, eu vou explicar porque.

Após uma primeira temporada que foi do grande C****** , a segunda jogou um balde de água fria e a terceira que retomou a inteligencia por trás de um bom roteiro, o que ficou evidente foi que mais do que nunca (essa fera ai bicho), Sam Esmail, criador da série, deixou claro que existe um roteiro que amarra todas as pontas de Mr Robot, assim como breaking bad, com autos, baixos, inicio, meio e fim. Isso significa que algumas temporadas de fato podem ser menos “bombásticas” que outras, pois elas fazem parte de um todo, algo maior, algo que fará sentido com o desenrolar da história. E, meu amigo, eu te digo: Se isso acontecer de fato e Mr Robot contar com um desfecho ao nível de sua primeira e terceira temporada, você verá em muitos sites e blogs, pessoas que nunca deram atenção para nosso mais que amigo, friend, Elliot, dizendo: Mr Robot? Nunca critiquei, essa série está no meu top list junto com Breaking Bad e True Detective. Obras primas da modernidade. 

Para resumir, ao meu ver, Mr Robot é uma das poucas séries que está demonstrando a coragem de contar uma história fechada. De matar personagens quando necessário, de fugir de espetacularizações em prol de uma boa narrativa e isso deve ser louvado. Mas, caso você discorde disso e ache que eu estou falando uma grande besteira, não fique bravo comigo! A Netflix está ai para nos presentear com um milhão de novidades diariamente, com o tal do algoritmo, e além disso, temos séries para todos os gostos, cores e sabores, e Twd é um dos bons exemplos que está ai para provar isso ano após ano.

Jemerson Vieira

Jemerson Vieira

Um publicitário que adora tudo sobre séries, inovação e empreendedorismo. Fundou o Cri-Cri para quebrar padrões em críticas e estar sempre atualizado nas coisas que ama!