Merlí e os Peripatéticos

 

Já pensou em aprender filosofia assistindo uma série? Não!? Saiba que a TV3 de Barcelona (Espanha) produziu uma das melhores séries que já assisti e sim, ela ensina muito sobre filosofia de um jeito totalmente leve e diferente. A série muitas vezes é confundida com aquela “Merlin” de um garoto com poderes mágicos, mas a nossa tem uma pronuncia diferenciada que não deixará ser confundida, lê-se “Marlí”, pois é catalão, então nada de confusões de agora em diante.

A série Merlí retrata a vida do excêntrico e espetacular professor de filosofia Merlí Bergeron (Francesc Orella) – ELE É MARAVILHOSO – e sua relação com os seus alunos peripatéticos do Ensino Médio em um Instituto Educacional em Barcelona, principalmente porque um de seus alunos é seu filho Bruno Bergeron (David Solans) que está passando pelo processo de aceitação de sua sexualidade. Merlí é um professor totalmente diferente do que vocês tiveram no colégio, nada daquelas longas aulas chatas que dão sono e que ninguém aprende nada, este professor é totalmente dotado de didática e ensina como dar uma ótima aula de filosofia de uma maneira totalmente divertida e instigante.

Ah, não está acreditando nisso? Bem, acho que é melhor vocês verem por si mesmos, até porque eu aprendi muito sobre filosofia assistindo a série. Engraçado, né? Além de ser leve, aquela série “fim de noite”, cada episódio acaba servindo como uma aula para nós. A série também traz bastantes reflexões sobre os problemas e discussões que estão rolando atualmente. Pensa que é só no Brasil que existem adolescentes problemáticos e cheios de dramas? Está enganado! Merlí traz os mais diversos debates, contando com a ajuda de um filósofo por episódio, tornando-se uma série altamente construtiva e divertida.

Merlí é um professor praticamente anarquista, ele adora fazer o que dá na telha, principalmente provocar seus colegas de trabalho e ir muitas vezes contra as ordens do diretor. Ele vem para mostrar o quanto aprender e ensinar pode e deve ser divertido, que a educação que temos hoje deve ser repensada. Até porque todos nós merecemos aprender de maneira que nos faça feliz, não é mesmo?

Mas a série não paira somente no ambiente escolar, a série retrata o cotidiano dos personagens envolvidos, as mais diversas situações que nós podemos encontrar fora ou dentro da escola e acaba nos ensinando a melhor maneira de lidar com elas. Merlí é uma série que vale muito a pena de assistir, principalmente por quebrar aquele estigma de que o professor é um santo dominador de todo o conhecimento. A série retrata principalmente os erros do ser humano, as falhas e como nossas escolhas acabam tendo suas respectivas consequências.

A série se tornou a minha queridinha e eu simplesmente AMO toda a sua produção, não mudaria nada. Ela tem uma excelente produção, ótimos atores e personagens. Um enredo de tirar o fôlego e a trilha sonora então…Nem se fala! A série consegue balancear perfeitamente humor e drama, deixando-nos cada vez mais ansiosos por novos capítulos. Mas como felicidade de mortal dura pouco, a série só tem três temporadas (eu assumo, mandei diversos emails para a produção e atores pedindo por mais temporadas, os emails foram respondidos com mensagens de agradecimentos, mas a gente entende que Merlí só seria Merlí com aquela turma).

Como a nossa queridinha Netflix comprou os direitos autorais de Merlí, no seu serviço streaming você só encontra a primeira temporada… Mas como eu sou a louca das séries, eu assisti a segunda temporada diretamente pela TV3 e estou acompanhando a terceira temporada que já conta com 5 episódios. E sim, se você quiser dar continuidade nos episódios, a TV3 tem um aplicativo gratuito na PlayStore que disponibiliza seus programas, mas é em catalão então prepara-se caso não aguente esperar a Netflix lançar as outras temporadas.

Ainda não sabe o significado de Peripatético? Assista Merlí e descubra!

 

Confira a abertura da série a seguir e mergulhe nessa história:

 

T’ESTIMO MERLÍ!

 

Acompanhe as novidades sobre séries e filmes nas nossas redes sociais.

Siga o Crítica Criativa no Instagram e curta nossa página no Facebook!

 

Raquel Mastrorosa

Amante de porquinhos da índia e lhamas, é membro oficial da sociedade do anel e uma verdadeira lady sith. Além disso é escritora, musicista, séries lover, ficcionada em HQs e super heróis, está terminando sua formação em História e é arqueóloga nas horas vagas. Também é mamãe da Pushinka (porquinha da índia) e do Mongo (cachorro mais amado do mundo)!