#MARATONEI LOST

Lost é mais uma analise da série especial chamada #MARATONEI, onde nós do Cri-Cri vamos assistir por completo as séries já encerradas ou canceladas e comentá-las. Então fica atento, pois já pra se tornar um especialista no assunto, hein!

Série: Lost
Gênero: Drama/Suspense
Ano: 2004/2010
Temporadas: 6
Episódios: 120
Netflix: Sim!

 

Dessa vez maratonei uma das séries mais icônicas da TV. Pioneira no ramo das séries de drama e suspense. Ela mesma, LOST! E eu sinceramente não sei de ninguém que não a conheça, mas caso essa pessoa seja você: Lost é uma série que conta a história de uma galera que pegou um avião com destino a Los Angeles, mas acabaram em um acidente e caíram em uma ilha. A ilha se torna uma espécie de personagem na série, ela parece ser mágica e coisas inexplicáveis começam a acontecer (como aparecer um urso polar assim do nada hahaha).

A história se desenrola através das aventuras que os sobreviventes enfrentam na ilha, acompanhadas sempre de flashbacks que contam as histórias das personagens. Mas o forte da série mesmo é a relação interpessoal e como isso afeta a busca pela sobrevivência, sempre na esperança de que um dia saiam da ilha.

Os mistérios foram a fórmula do sucesso de LOST. A cada episódio a sede pela descoberta e explicação de cada detalhe é maior. Só que foi também um tiro no pé, isso porque muitos fãs da série se decepcionaram com o seu desfecho.

O desfecho de Lost deixou sim muitas pontas soltas, mas não foi um final ruim. O problema é que durante as cinco temporadas era difícil compreender se a série tomaria um rumo científico ou espiritual/sobrenatural, e o que traria todas as respostas que queríamos saber era o rumo científico. Mas na sexta temporada, fomos imergidos totalmente no lado mais sobrenatural e espiritual da série.

O que me incomoda é quando a série desenvolve uma trama longa e cheia de história, mas deixa o desfecho apenas para um ou outro episódio. Para dar mais valor ao final da história, o ideal seria um desfecho gradativo que desse tempo para processarmos 5 temporadas (mais de 100 episódios) e explicar melhor o que aconteceu.

Os criadores e produtores da série afirmaram que as personagens não estavam mortas todo esse tempo, os sobreviventes da queda do voo 815 são realmente sobreviventes.
Só que durante a sexta temporada, paralelamente com os acontecimentos reais (na ilha), a série nos mostrou uma versão alternativa de suas vidas (fora da ilha) e isso provou que o destino deles era o mesmo, independentemente do local onde estivessem.

O bem e o mal, o céu e o inferno foram representados através de uma simbologia que conta a história da ilha e do porque tudo ter acontecido. As 5 temporadas anteriores nos fizeram pensar em explicações mais tangíveis, já que a iniciativa Dharma esteve presente esse tempo todo. Mas a Dharma era apenas uma exploradora na ilha, tentando também desvendar os seus mistérios.

Enfim, te desafio a assistir LOST sem se emocionar (principalmente na cena do pote de creme de amendoim), sem se apegar a algum personagem e sem enlouquecer tentando descobrir o que está acontecendo.

 

Te desafio também a não ficar tentado a jogar os números 4, 8, 15, 16, 23 e 42 na loteria (hahaha).

 

Tiago Gomes

Publicitário otimista!