Existem games brasileiros?

Você já jogou algum game brasileiro? (Não vem falar de Bomba Patch do PES, CS na favela, ou GTA Rio que já te mando a m***a 😆)

Já se perguntou se eles existem?

Nós te damos a resposta.

SIM!!! Eles existem e vamos mostrar os 15 games brasileiros que mais chamaram a atenção nos últimos tempos.

Já faz um tempo que a indústria dos games superou a do cinema e da música. A cada dia aparecem mais jogos e não só para videogames ou PC, são games para celulares e tablets, isso sem contar a quantidade de campeonatos nacionais e mundiais que estão sendo transmitidos pela televisão e via streaming, sempre impressionando com o número gigantesco de público.

Sempre fomos influenciados pela cultura estrangeira e independente do conteúdo a admiramos da mesma forma. No mundo dos games não é diferente. Por isso decidimos trazer algumas opções que podem mudar sua opinião e assim quem sabe, valorizar mais a indústria nacional. Os desenvolvedores brasileiros têm feito muitos jogos bons e através de investimentos coletivos, de publishers ou do próprio bolso, elas têm alimentado o mercado independente de games.

Então separamos 15 games brasileiros que fizeram e ainda fazem muito sucesso e que provavelmente chamará a sua atenção.

Knights of Pen and Paper

Knights of Pen and Paper é um game de RPG desenvolvido pela Behold Studios, empresa de brasileiros fundada em 2009, pelo Saulo Camarotti. Ele não é um simples RPG. Pense naqueles jogos de Dugeons & Dragons, com mestre narrando a história e um grupo de amigos sujando as mãos comendo petiscos e anotando nas fichas seus danos e ganhos, indo de tavernas a cavernas atrás de aventuras. Ele tem todas essas características ao seu modo e é isso que faz desse jogo um diferencial.

Por que jogar? Knights of Pen and Paper é um clássico dos RPG táticos, com turnos e evolução de personagem, com diferentes classes a se escolher e caminhos diferentes a seguir. Saiba também que já saíram as continuações dele, Knights of Pen and Paper 2 (esse desenvolvido pela Paradox Interactive) e Galaxy of Pen and Paper, ambos estão disponíveis na Steam, Android e IOS.

Chroma Squad

Chroma Squad

Chroma Squad é um game de RPG tático desenvolvido também pela equipe da Behold Studios, financiado pelo Kickstarter. O jogo conta a história de cinco dublês que pedem as contas de seu emprego por se sentirem desvalorizados e decidem abrir o seu próprio estúdio para filmar um seriado de Super Sentais, uma digna homenagem aos Power Rangers.

Por que jogar? Chroma Squad é uma sátira ao gênero de Tokusatsu (programas de heróis japoneses geralmente representado por 5 guerreiros como Flashman ou Changeman, talvez não conheça esses nomes se você for muito novo), com referências à cultura pop japonesa e uma ótima trilha sonora. É possível personalizar e melhorar os personagens e o estúdio. O jogo é feito em pixel art e as batalhas são por turnos com movimentação por quadrados, clássico de jogos táticos, sem contar a possibilidade de combos entre personagens e finais diferentes. O jogo está disponível na Steam.

 

Horizon Chase

Horizon Chase foi desenvolvido pelo Aquiris Game Studio. É um jogo de corrida de carros, e não sei se já jogaram os clássicos Top Gear do Super Nintendo, ou Out Run dos fliperamas, mas se caso já e sentem falta do estilo e trilhas, jogue Horizon Chase, que é com certeza a escolha certa do gênero.

Por que jogar? Trilha sonora fantástica e com música do compositor Barry Leitch, responsável pelas trilhas sonoras de Top Gear, Lotus T.C. 2 e Rush. Cenários incríveis muito bem feitos. Carros com especificações individuais e a possibilidade de fazer melhorias neles. Um jogo ótimo com um toque de nostalgia dos clássicos de arcade. Disponível para Android e IOS.

Oniken

Oniken é um game de ação em 2D desenvolvido pelo estúdio JoyMasher, fundado em 2012 pelos brasileiros Danilo Dias e Thais Weiller. Tudo no jogo, desde o design do personagem até as trilhas sonoras, são uma homenagem aos jogos de ação em 8-bits do NES. Em um futuro pós-apocalíptico e na pele do ninja mercenário Zaku, você precisa lutar ao lado da resistência contra a organização militar chamada Oniken.

Por que jogar? O game é totalmente inspirado nos games da década de 1980, como ContraNinja Gaiden, Castlevania. Se prepare para muita nostalgia morrendo muito nas lutas contra os chefões, porque se você sente falta da dificuldade dos jogos antigos, pode ficar tranquilo que Oniken lhe proporciona tudo isso e além dos gráficos traz também uma trilha sonora que remetem aos games dessa época. Quem não se sentir desafiado o suficiente pode jogar também no modo hardcore. O jogo é de 2012, mas vale muito a pena jogar se você for fã do gênero. Disponível na Steam. Caso queira mais outro semelhante procure por Odallus: The Dark Call, jogo do mesmo estúdio em 2015, mas com uma experiência bastante diferente, mais baseada na exploração.

Rainy Day

Rainy Day foi desenvolvido pela game designer Thais Weiller (cofundadora do estúdio JoyMasher), em parceria com a artista Amora Bettany (MiniBoss). O jogo transmite de uma maneira muito interessante a luta de uma pessoa com depressão e ansiedade ao tentar sair de casa para trabalhar.

Por que jogar? Rainy Day mostra que jogos também podem abordar temas sérios e delicados trazendo uma realidade que infelizmente muitas pessoas vivem, a da depressão e ansiedade. Ele não é uma cura, mas pode ajudar a quem joga compreender melhor as pessoas que têm ou já tiveram e como é difícil seguir uma simples rotina. Para cada pensamento existem múltiplas escolhas que levam a outra tela, podendo ou não causar um loop. O game possui finais diferentes. Então jogue aqui e descubra.

Shiny

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O game foi desenvolvido pelo Garage 227 Studios e publicado pela 1C Company, Shiny conta a história do robô Kramer 227, que precisa salvar seus amigos robôs antes que o abandonado planeta Aurora colida com o sol.

Por que jogar? O desafio não está nas lutas ou qualquer tipo de enfrentamento “comum”. Durante os 20 estágios, Kramer precisa explorar os cenários e pular em plataformas. Cada ação do robô consome energia. Todos os movimentos têm que ser muito bem pensados. É preciso coletar baterias ou usar geradores para que Kramer continue funcionando e ainda dá para contar com a ajuda de power-upsespalhados pelos cenários. Disponível na Steam e também para Xbox One.

 

A Lenda do Herói

A imagem pode conter: texto

 

A Lenda do Herói é um game de plataforma e aventura side-scrolling feito em colaboração entre os youtubers Marcos e Matheus Castro (Castro Brothers) e o estúdio Dumativa. O game participou do financiamento coletivo do Catarse, arrecadou mais de R$258 mil, e conta a história do herói que precisa salvar a princesa.

Por que jogar? É uma homenagem aos jogos de side-scrollingpuzzle e pixel artque foram lançados nas décadas de 1980 e 1990 como The Legend of Zelda. A Lenda do Herói é repleto de bom humor e questiona certos clichês presentes nos jogos. Além disso, a narrativa é cantada, ou seja, enquanto o herói está andando pelo cenário, tudo é narrado (e questionado) em forma de música com letras cômicas. O jogo apresenta puzzles e inimigos desafiadores. Disponível na Nuuvem.

Gryphon Knight Epic

A imagem pode conter: texto

O game foi desenvolvido pelo Cyber Rhino Studios e também financiado através do Kickstarter. Gryphon Knight Epic conta a história do cavaleiro Sir Oliver e seu grifo Aquila, que precisam voltar à ativa. Dessa vez, eles precisam lutar contra antigos amigos que se rebelaram.

Por que jogar? Gryphon Knight Epic mistura elementos clássicos de shoot’em up, exploração e duelo com chefes. Sir Oliver e Aquila precisam passar pelos oito níveis para descobrir o que aconteceu com seus amigos. Ao derrotar os chefões Sir Oliver pode ficar com as suas armas. Ele também pode encontrar equipamentos nos cenários. O jogo também possui um nível de dificuldade desafiador. Disponível na Steam, Xbox One e PS4.

My Night Job

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

O game de terror My Night Job foi desenvolvido pelo estúdio WebCore Games. Reggie precisa limpar uma enorme mansão mal-assombrada repleta de monstros e resgatar os sobreviventes.

Por que jogar? O game de 16-bits é cheio de referências a filmes de terror da década de 1980 como Hellraiser, A Hora do Pesadelo, Gremlins, Madrugada dos Mortos, Os Caça-Fantasmas e muito mais. Monstros não faltam na mansão. Para salvar os sobreviventes e não morrer com os ataques de zumbis, gárgulas, cães demoníacos e robôs assassinos, Reggie conta com um arsenal de armas e objetos espalhados nas 26 áreas da mansão. Disponível para PS4 e Steam.

 

Aritana and the Harpy’s Feather

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Desenvolvido pelo estúdio Duaik Entretenimento, o game conta a história do índio Aritana que precisa ir até o topo da montanha para encontrar a lendária Harpia, nas terras do terrível Mapinguari, para curar o cacique Tabata.

Por que jogar? É um jogo de plataforma 2D inspirado na cultura de índios brasileiros. A mecânica é baseada na troca de posturas, que proporcionam velocidade, pulo, ataques e habilidades especiais. O jogo também tem sistema de combos e é possível aprender novos golpes. Os cenários vão de florestas tropicais até a montanha do Uiruuetê.  Você irá enfrentar a criatura Mapinguari várias vezes e de diferentes formas durante todo o jogo. Você pode comprar aqui.

99 Vidas – O Jogo

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

É um clássico beat ‘em up desenvolvido pela QUByte Interactive, em parceria com o podcast 99 Vidas, e saiu do papel em dezembro de 2016, após arrecadar mais de R$127 mil.

Por que jogar? Se você é fã de Double Dragon, Golden Axe, Final Fight e de tantos outros clássicos das décadas de 1980 e 1990, 99 Vidas – O Jogo, traz tudo o que você já gosta, com um toque brasileiro em cenários produzidos para os fãs do podcast, mas igualmente divertidos para quem viveu a época das locadoras. O jogo não é fácil e a experiência é ainda mais legal quando compartilhada com amigos (até 4 pessoas), presencialmente ou online. Disponível para PC (Steam e Nuuvem) e previsto para sair no PS4, PSVita e PS3 em maio. No Xbox One, deve sair ainda esse semestre. Vai ganhar também uma versão mobile (Android e IOS) no segundo semestre.

Agora não vá dizer que não existe games brasileiros. Se você achou que deixamos algum que é bom de fora comente ai embaixo ou na nossa página do Facebook e nos siga também no Instagram e Twitter.

Renan Rodrigues

Renan Rodrigues

Um redator, que tem mais games do que consegue jogar, viciado em seriados e que gosta de cozinhar. Fã de Dragon Ball, o melhor anime de todos.