Crítica: XOXO – Netflix

Sinopse: XOXO retrata as aventuras de um grupo de jovens no maior festival de música eletrônica dos Estados Unidos. São seis vidas que se encontram em uma noite de romance, sonhos e loucuras. A figura central é Ethan, um jovem DJ chamado para se apresentar no festival quando sua música se torna viral. Ele sabe que esta é a sua grande chance… se conseguir chegar lá inteiro!

Apesar do filme não ter muitas surpresas além das ditas na sinopse e trailer, XOXO consegue ser um bom filme para você entender um pouco mais sobre como funcionam os grandes festivais/raves de música para a cultura jovem.
A proposta do filme é mostrar paralelamente o percurso e amadurecimento de 6 personagens durante um grande festival de música eletrônica chamado XOXO (Eu lêio “chôchô”, mas se pronuncia “ex ô ex ô” hahaha). 
Todos eles de alguma forma acabam chegando a Ethan, o protagonista, um Jovem DJ recém descoberto e em ascensão através do Youtube. Seu empresário consegue coloca-lo para se apresentar neste grande evento – ele consegue essa façanha faltando apenas 8 horas para começar o festival – e assim começa a odisséia de Ethan para chegar até o show e conseguir se apresentar…
Algo que me incomodou muito foi a glamourização da utilização de drogas nesses eventos, é óbvio que isso existe, é óbvio que sabemos que é algo que predomina, porém em muitos momentos o filme apresenta essa característica das Raves como algo super positivo e atrativo, não quero bancar o chato conservador, porém, fica nítida uma forçada de barra para tornar o consumo de drogas algo “cômico” na história, coisa que sabemos que traz dezenas de efeitos pós uso… enfim, vamos para outro tópico.
Com o desenrolar da história a proposta de unir os seis personagens vai se aproximando, até que chegamos ao principal ponto do filme: A apresentação no festival.Apesar de muitos problemas, como um bom filme adolescente, o final traz uma união de fatores e surpresas para que Ethan consiga se apresentar e conhecer alguém muito especial…Em resumo: Esse filme será uma boa pedida para o seu fim de tarde de um domingo qualquer, as cores são muito bonitas, o trabalho com a iluminação é extremamente atrativo e realmente nos aproxima ao estereótipo de balada/Rave que vêm a nossa cabeça sempre que pensamos nesse tipo de evento.
Se já assistiu o filme, comenta o que achou ai em baixo, tá? 😉
Jemerson Vieira

Jemerson Vieira

Um publicitário que adora tudo sobre séries, inovação e empreendedorismo. Fundou o Cri-Cri para quebrar padrões em críticas e estar sempre atualizado nas coisas que ama!