10 séries e filmes com mulheres incríveis como protagonistas

Na semana da mulher, apesar de saber que todos os dias são nossos, é um bom momento para a gente enfatizar e enaltecer o papel das mulheres na sociedade. Por isso, trouxe uma lista especial de 5 filmes e 5 séries com mulheres incríveis e empoderadas pra nos inspirar e nos lembrar que nós somos fortes e que o nosso papel no mundo é essencial. Nunca duvide da sua capacidade, nem deixe ninguém duvidar. Não se cale, nem deixe ninguém te calar. Exija respeito e não aceite que ninguém diminua você só pelo fato de ser mulher. Você é importante e não merece nada menos que o melhor.

O dia é das mulheres, mas é importante que os homens também se conscientizem e tentem ser o melhor que puderem com elas. Respeite as mulheres hoje e sempre, seja ela uma mulher da sua família ou completa desconhecida.

Agora se joga nessas séries e filmes que com certeza você não vai se arrepender, afinal, é importantíssimo ter mulheres em filmes e séries pra gente se sentir representada. Pega a pipoca aí e vem comigo!

  1. The Fall

É uma série policial que se passa na Irlanda onde um assassino em série de mulheres está à solta e a polícia de Belfast chama a detetive Stella Gibson (Gillian Anderson) pra comandar a investigação. Ela dá um show de empoderamento, os diálogos são incríveis e ela não abaixa a cabeça pra nenhum homem, nem mesmo para o serial killer. Uma das minhas citações preferidas dela: “Uma mulher, esqueci quem disse que perguntou a um amigo, por que os homens se sentiam ameaçados pelas mulheres? Ele respondeu que eles tinham medo que as mulheres rissem deles. Quando ela perguntou a um grupo de mulheres por que elas se sentiam ameaçadas pelos homens… Elas disseram: ‘temos medo que eles nos matem”.

  1. Scandal

Olivia Pope é a ex consultora de mídia do presidente dos EUA que não tem medo de nada, nem de ninguém! Depois de pedir demissão do cargo, ela usa sua influência e seu poder pra defender a imagem de grandes figuras da elite americana junto com sua equipe. É mais uma série da Shonda Rhimes que, a gente sabe, adora dar visibilidade para as mulheres e, principalmente, para as negras. Boa, Shon! <3

 

  1. How to Get Away with Murder

Um grupo de alunos de Direito são “contratados” para estagiar com uma professora poderosíssima, Annalise Keating (Viola Davis), que dá aulas de como se livrar de um assassinato, mas tudo começa a mudar quando eles se veem envolvidos em um crime e precisam colocar em prática tudo que aprenderam com ela. Annalise é uma mulher forte, bem sucedida, poderosa e inteligentíssima, sempre está um passo a frente de todos e, mesmo parecendo arrogante as vezes, ela faz o que pode pra ajudar quem precisa.

  1. The Crown

A série original da Netflix conta a verdadeira história da Rainha Elizabeth II e mostra toda a evolução dela naquela época onde o machismo reinava. Apesar de Elizabeth ainda reproduzir alguns comportamentos machistas (completamente compreensível), é perceptível o quanto ela evolui e muda seus conceitos com o passar do tempo.

 

 

 

  1. Orange Is The New Black

Me atrevo a dizer que é a série americana com mais representatividade que eu já vi. O protagonismo é exclusivamente feminino e com certeza alguma personagem ali vai te representar porque tem mulher de todas as etnias, orientações sexuais, tipos físicos, trans, cis, etc. A história toda acontece dentro de um presídio e, no começo, conta a trajetória de Piper, uma branca de classe média que vai presa por ajudar a ex namorada a levar drogas pra outro país. Depois, a série começa a abordar outras temáticas e em cada episódio conta a história de uma das mulheres presas. É incrível, muito engraçada e rola até uma lagriminhas de vez em quando.

 

  1. Moana – Um Mar de Aventuras

O novo clássico da Disney sem aquele estereótipo de princesa frágil e delicada, Moana é o contrário. É forte, determinada e muito corajosa. Ela sofre com a pressão de ter que seguir os passos do pai como líder da ilha quando descobre que forças míticas colocam a segurança e a vida de seu povo e sua família em perigo. Para salva-los, ela atravessa o mar sozinha em busca do semideus que é a única pessoa que pode ajuda-la a salvar seu povoado. Vai ter filme sem príncipe, sem beijo no final, mas com final feliz e princesa empoderada sim!

 

  1. O Quarto de Jack

O filme que deu o Oscar 2016 de Melhor Atriz à Brie Larson é uma produção linda e muito emocionante. É a história de uma mulher que é mantida em cativeiro e estuprada por 7 anos, neste período, nasce Jack que viveu durante 5 anos dentro daquele quarto minúsculo sem saber o que acontece no mundo lá fora. Um filme que é impossível não gostar e não se comover com a história dessa mulher que faz tudo pra criar o filho nas piores condições e ainda assim não perde a esperança de sair dali.

 

  1. Histórias Cruzadas

Uma escritora, interpretada por Emma Stone, começa a entrevistar mulheres negras de uma pequena cidade, que deixaram seus filhos e casas para dedicar suas vidas a cuidar dos filhos da elite branca. Aibileen Clark (Viola Davis) é a primeira empregada que concede uma entrevista à escritora e ajuda a conseguir mais mulheres como um modo de denunciar toda aquela repressão que mulheres negras sofriam nos anos 60. É outro filme lindo e impossível não gostar.

 

 

  1. Estrelas Além do Tempo

É um filme novo que concorreu ao Oscar 2017 em diversas categorias, conta a história de três mulheres negras que trabalham na NASA em uma equipe composta somente por mulheres afro-americanas e que, mesmo com todo o preconceito e com pouquíssimos recursos, elas se mostram essenciais para que os Estados Unidos se dê bem na corrida espacial. É uma história real de mulheres fortes, determinadas e que deixaram seus nomes marcados com contribuições incríveis à história americana.

 

  1. Rogue One: Uma História Star Wars

Os dois últimos filmes da franquia Star Wars tiveram o protagonismo feminino, o que deixou muita gente descontente por aí, mas a verdade é que representatividade é extremamente importante porque todo mundo deve ter a possibilidade de se ver e se relacionar com os personagens. Como Kathleen Kennedy, que comanda a LucasFilm, já disse: “Personagens femininos são criados e tendem a ser esquecidos durante longos períodos de tempo. Mas eu acho que as heroínas de antes eram sempre feitas com motivações ou sob visões masculinas.” e com Jyn Erso ela quis fazer diferente. No filme, Jyn é uma humana que lutou pela Aliança para Restauração da República durante a Guerra Civil Galactica. Ela é forte, independente, autossuficiente e sempre prefere fazer tudo sozinha.

 

Não esqueça de curtir a página do Cri-Cri no Facebook! Até a próxima!

Ingrid Mamolli

Ingrid Mamolli

Mais uma que caiu no conto do publicitário bem sucedido, apaixonada por séries, filmes e tudo relacionado à internet!